• Menu

  • 03 junho 2017

    Amor Não Olha Idade - Capitulo 12


    Isabella Swan

    Já era bem tarde, eu estava na sala assistindo um episodio de um dos meus seriados favoritos "The Royals", meu tio Jake já tinha ido dormi e eu nem sabia onde estava minha mãe, provavelmente no hospital eu já tinha considerado ligar pra ela mas ela não gostava que eu a interrompesse quando ela estava trabalhando.

    Peguei meu telefone e mais uma vez verifiquei se tinha alguma nova mensagem ou ligação, mas nada. Eu tinha mandado uma mensagem pro Edward mais ele ainda não tinha me respondido.
    Era inevitável eu estava nervosa amanhã era meu aniversário eu não sabia o que espera tá tão grande festa que eu tinha passado tanto tempo organizando, minha maior preocupação é se daria tudo certo.
    ....

    –Filha, filha vai dormi na cama.

    –Oi?

    –Vai dormi na cama.
    Abri os olhos, reparando que eu ainda estava dormindo no sofá.

    –Eu cai no sono.
    Justifique.

    –Que horas são?

    –Já passou das três.

    –Ok. Boa Noite.

    –Boa noite e feliz aniversário.
    Eu já estava um pouco distante dela, o feliz aniversário soou bem baixo, não sei, parecia que ela estava meia insegura.

    –Obrigada.
    Agradeci e caminhei pro meu quarto.

    ....

    Acordei com o sol batendo no meu rosto, queria realmente saber quem abriu a droga da janela. Peguei meu travesseiro e coloquei sobre o rosto e voltei a fechar os olhos buscando voltar ao meu sono.

    –Nem pense nisso, vamos está na hora de você levantar, temos hora no salão daqui a meia hora.
    Me sentei na cama rapidamente, não acreditando que ele estava mesmo ali.

    –Tio quando você chegou?

    –Agora a pouco, e não consigo acreditar que você ainda esteja dormindo. Se fosse meu aniversário de 15 anos com toda a certeza eu estaria pirando, não teria conseguido nem dormir.

    –Eu não sou você é não consigo sentir esse nervosismo todo que você está sentindo.
    Eu disse enquanto abraçava ele.
    –Ai garota, as vezes eu odeio que você seja tão parecida com sua mãe.
    Ele disse enquanto apertava o meu nariz, não sei o que ele tanto gostava no meu nariz, mas desde que eu me lembro ele sempre ficava apertando meu nariz.

    –Eu não sou nada parecida com minha mãe.
    Eu disse, era realmente verdade, eu tinha herdado poucas coisas da minha mãe.

    –Fisicamente até pode ser, mas esse seu jeito e totalmente ela.
    Dei de ombros.

    –Até parece.

    –Você as vezes se esquece que sua mãe já foi jovem, a vida que fez ela parecer essa megera que as vezes ela parece, mas quando sua mãe era mais jovem, ela era realmente igualzinha a você. Se você tivesse a conhecido nessa época com toda certeza você iriá ama-lá.

    –Eu amo minha mãe.

    –Eu sei que sim.

    –Falando nela você saber se ela vai no meu aniversário?
    Eu não tinha perguntado isso a ela, ela sabia que eu faria uma festa afinal era ela quem estava bancando, mas eu não sabia se ela iria.

    –E claro que ela vai, tenho certeza que ela jamais se ausentaria.

    –Já eu tenho minhas duvidas.

    –Vamos parar com isso?
    Ele perguntou, balancei a cabeça não queria me chatear não no dia do meu aniversário.

    –Ok, então a senhorita pode ir tomar seu banho, por que temos que está no salão daqui a uma hora no máximo.

    –Você tem certeza de que precisamos passar tanto tempo no salão, afinal ainda é muito cedo e a festa só começa as sete.

    –Querida entenda que hoje é seu dia, você vai passar o dia todo no SPA, massagens, tratamentos estéticos, irão cuidar desse cabelo você ficará perfeita.

    –Acho isso tudo muito desnecessário.

    –Desnecessário é essa conversa, agora por favor vai tomar banho.
    Dei de ombros e fui.

    [...]

    –Qual é a senha disso?
    Ele perguntou balançando meu celular.
    Corri até ele e tomei o aparelho da mão dele.

    –Não mecha no meu telefone.
    Imaginei o que aconteceria se ele lesse as mensagens entre mim é o Edward, não tinha nada de mais ok, mas provavelmente ele iria querer uma resposta sobre o motivo de eu esta mantendo contato com o pai da Camila.

    –Relaxa, o que tenha demais ai?

    –Nada, mas não mecha.

    –Você sabe que uma hora eu descubro.
    Coloquei o telefone no meu bolso, não queria ele tentasse bisbilhota meu telefone novamente.

    –Está pronta.

    –Não, ainda tenho que tomar meu café da manhã.

    –Ai meu Deus, já estamos atrasados você ainda vai querer tomar café?

    –Claro.

    [...]

    Ainda eram cedo para estarem tocando a campainha, mas como meu tio jake se apressou em atender presumir que fosse algo pra ele.

    Quando ele passou pela porta carregando um buquê de flores vermelhas, ele tinha uma caixa preta em mãos.

    –Que isso?

    –E pra você.
    Ele disse.

    Olhei incrédula para ele.

    –Como assim pra mim.

    –Pra você, abra quero saber o que é.

    Peguei a caixa preta das mãos dele e acariciei a macia caixa de veludo ou algo próximo a isso. Abri a caixa, dentro escondendo o presente tinha um cartão, curiosa retirei o carto e me surpreendi ao ver uma linda pulseira, a corrente era algo delicado e muito simples o que chamava atenção era o enorme pingente em formato de coração, peguei a pulseira com delicadeza parecia que um toque mais firme eu pudesse quebra-lá. Curiosa coloquei a caixinha sobre a mesa e peguei o cartão:

    Tome conta do meu coração, eu o deixei com você.

    O cartão não estava assinado, mas eu reconheceria aquela letra em qualquer lugar.
    Virei o cartão e tinha a expressão Happy Birthday como uma marca d'água.

    –De quem é?
    Perguntou meu tio Jacob, interrompendo meu momento, eu estava a ponto de chorar.

    –Não sei, não está assinado.
    Eu não podia dizer de quem era.

    –Isso é caro. -Ele disse pegando a pulseira da minha mão, as flores já estavam em cima da mesa, me inclinei para pega-lás, aproximei o buquê do meu rosto sentindo o cheiro delicado de rosas.- Diria até exclusivo, e querida isso é um diamante, um grande diamante.

    –Deve ser só uma bijuteria.

    –Eu reconheço um diamante.
    Dei de ombros ainda sem acreditar que ele pudesse ter me dado um diamante, eu encantada com as flores.

    Ele pegou o bilhete da minha mão.
    –Você quer dizer que depois dessa linda declaração você não sabe quem é.

    –Tá bom, eu sei quem é só não irei falar.

    –Nada disso vamos comece a falar mocinha.

    –Nem vem.

    –Por que esse segredo?
    Ele perguntou roubando uma pétala do meu buquê.

    –Ninguém a proibi de namorar, então não tem por que esconder.
    Claro que ninguém me proibia, afinal parecia que ninguém ligava pro que eu fazia.

    –Eu não estou escondendo apenas não quero falar.

    –Por que não?

    –Nós não estamos namorando, estamos apenas nos conhecendo, somos amigos.

    –Amigos não dão isso.
    Ele disse apontando para minha pulseira.

    –Por favor tio.

    –Ok, como é seu aniversário vou esquecer esse assunto principalmente por que estamos atrasados, mas não pense que irei esquecer pra sempre, amanhã voltaremos a conversa sobre isso.
    Ele disse puxando meu pulso esquerdo e colocando a pulseira ali.

    [….]

    Fim do Flash Back

    –Eu sabia, nenhum adolescente dá um diamante, isso é coisa de homens, homens experiente, como eu fui estupido, porque eu não segui o que no fundo eu sabia.
    Eu vou matar esse cara, como ele pode você era uma criança de Quatorze anos, ele..., ele não devia sequer ter olhado pra você...

    –Tio por favor deixa eu terminar de conta a história depois eu escuto todos os sermões do mundo, mas por favor me escuta.


    Nesse momento eu chorava, uma forte tristeza por ter que está contando aquela histórias, a nossa história daquele jeito, mas misturado com a tristeza a alegria pura e verdadeira de está revendo as memorias mais lindas e tristes da minha vida, a parte alegre me dava mais folego para continuar a contar a nossa história.

    –Eu vou matar esse cara.

    –Faça o que você quiser mais depois de ouvir tudo, pode ser?
    Perguntei.

    Ele balançou a cabeça afirmando.

    Começo do Flash Back
    Notas Finais/Avisos
    Inicialmente queria desejar a todos vocês que leem a fic um feliz natal. Outra coisa que eu queria falar é que eu estou meio que decepcionada com a maior parte dos leitores, eu tenho mais de 300 pessoas acompanhando a fic (isso é ótimo eu reconheço) Mas o que mata e que nem dez comentam, ai eu fico sem postar um monte de gente aparece leitores que nunca comentaram em sequer um capitulo cobra alguma coisa, como se tivessem direito, com base nisso eu simplesmente venho comunicar que se continuar desse jeito (a cada capítulo aumentando o numero de favoritos e acompanhamentos e o de comentários caindo) eu simplesmente vou parar de postar aqui, Me doí falar isso mas e simplesmente a verdade, isso é muito frustante. Todo mundo acha que eu devo simplesmente para minha vida para vir aqui e escrever o capitulo (eu reconheço que eu demoro um pouco pra atualizar a fic, mas tento ao máximo não demorar muito e atualizar constantemente), eu só gostaria que vocês tivessem a mesma consideração e gastassem 1 minuto para deixar um comentário no capitulo. Então se o numero de comentários for significativo eu tento voltar na segunda, caso contrário, ADEUS.
    16/05
    Comentários no facebook
    0 Comentários no blogger

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    © Todos os direitos reservados 2017 -
    Morgana Salvatore - Tecnologia do Blogger