• Menu

  • 03 junho 2017

    Amor Não Olha Idade - Capitulo 15


    Pov | Edward

    Eu não conseguia justificar minha atitude, mas eu não deveria ter a beijado por mais que eu quisesse, ela não deveria estar aqui, e eu com certeza não deveria ter deixado a Tanya na festa pra fugir com a aniversariante, mas eu também não podia virar as costas pra ela em um momento em que ela se mostrou tão frágil.

    Aproveitei que ela tinha ido ao banheiro e peguei meu telefone eu precisava dá um jeito na bagunça que eu tinha criado.

    Caminhei para a sacada não queria que ela me ouvisse caso saísse do banheiro. Olhei entre os números salvos até achar o que eu precisava. O telefone chamou três vezes antes que ele atendesse.

    —Alô.
    Fui direto ao ponto, não iria adiantar prolongar:

    —Eleazer eu preciso de um favor seu.

    —Fala.
    Bufei, sabia que seria difícil convencê-lo, mas ele era minha única solução e a única pessoa que a Tanya não duvidaria.

    —Eu preciso que você diga a Tanya que irá passar a noite comigo, que houve um problema com um dos contratos e que se não resolvermos hoje teremos um enorme prejuízo.

    —Não Edward, nem vem eu não irei mentir pra minha irmã só pra acobertar suas traições.
    Sim todo mundo sabia que eu não era o marido mais fiel do mundo, inclusive a Tanya mas como ela concordou em se casar comigo mesmo eu sendo assim ela não tinha o que reclamar.

    —Eleazer não é pra acobertar nada eu prometo. Eu não iria trair a Tanya, afinal não iria acontecer mais nada entre mim e a Isabella, mas eu também não poderia deixá-la sozinha. Respirei fundo e continuei, eu odiava me justificar, mas eu não podia fazer muita coisa eu precisava da ajuda dele. –

    Você seria a última pessoa pra qual eu pediria ajudar se o que eu pretendesse fosse trair sua irmã, só que eu tenho certeza de que a Tanya jamais iria entender o que eu tenho que fazer, você sabe a irmã que tem, e eu não quero brigar com ela.

    —O que você vai fazer Edward?

    —Não posso falar agora, mas eu prometo que depois eu te explico.
    Eleazar era um dos meus melhores amigos e sendo meu advogado eu podia confiar nele.

    —irei cobrar esse favor depois.
    Sorri tranquilo, comecei a dizer a ele o que ele deveria dizer a Tanya quando ela ligasse pra ele, ele escutou pacientemente e logo que já tínhamos tudo combinado ele desligou, disquei o número do meu motorista particular, ele atendeu rapidamente depois de passar a ele as coordenadas de onde ele iria buscar a Tanya.

    Disque o número dá Tanya logo em seguida, ela atendeu no terceiro toque.

    —Edward Cullen onde você está?
    Ela estava irritada.

    —Tanya aconteceu um pequeno problema e eu tive que vir encontrar o Eleazar, mas já liguei para o nosso motorista e ele já está indo buscá-las.

    —Não minta pra mim Edward, você deve está com alguma piranha.

    —Por favor Tanya vamos manter o nível, você melhor que ninguém sabe que se eu tivesse com alguma mulher jamais estaria ligando pra você para me explicar, mas se não confia em mim, ligue para o seu irmão.

    Eu sabia que ela realmente ligaria, assim como eu sabia que ela confiaria cegamente na palavra dele e nem pediria pra no caso falar comigo.

    —Irie ligar mesmo.

    —Ótimo, não esqueça de pedir pra falar comigo.
    Eu sabia que expor o ciúme dela a deixava possessa, dizer aquilo só me dava mais garantias de que ela jamais pediria ao irmão dela pra falar comigo.

    —Não seja debochado e me explique o que aconteceu pra que você deixasse a mim e a Cami aqui nessa festa sozinhas.

    —Aconteceu um problema em um dos contratos e eu e o Eleazar precisamos rever todos antes que cause um rombo maior na nossa conta.

    —Rombo?
    Sorri, ela era tão gananciosa quanto eu.

    —Não se preocupe com isso não foi algo tão grande, mas se não resolvêssemos logo poderá acabar se tornando algo pior, por isso irei passa uma boa parte da noite aqui, não me espere acordada.

    —Depois irie querer que você me explique detalhadamente o que aconteceu.

    —Ok, agora eu tenho que desligar, boa noite.
    Ela retribui o boa noite e desligou. Eu depois arrumaria uma forma dela esquecer isso sem me cobra explicações.

    Guardei o aparelho no bolso e sai da sacada, caminhando silenciosamente de volta ao quarto, ao chegar no quarto me surpreendi ao vela, vestindo uma cueca e uma camisa minha.

    Chamei atenção dela que até então não tinha me percebido.

    —Isabella.

    —Oi Edward.
    A voz dela estava arrastada, eu que tinha pensado que a bebedeira tinha passado.

    —Desculpa, mas eu tive que pegar umas roupas sua emprestada.

    —Porque?

    —Eu vomitei no meu vestido.
    Ela com certeza ainda estava bêbada, minha Isabella jamais falaria uma coisa daquelas e ficaria rindo como se fosse a coisa mais engraçada do mundo.

    Me aproximei dela e a segurei pelo braço, queria me certificar que ela não iria cair ou algo do gênero.

    —Vem você precisa dormi.

    —Você vai dormi comigo?
    Eu não respondi não queria ela fazendo birra e nem tentando me fazer mudar de ideia.
    Diante do meu silencio ela mesmo falou.

    —Ótimo que você vai dormi comigo, por que eu não quero dormi sozinha, dormi sozinha e muito ruim sabia?
    Ela deitou de boa vontade na cama o que me surpreendeu, pensei que eu teria problemas em coloca-la pra dormi.

    —Deita aqui comigo Edward.
    Ela me deu espaço na cama, eu não sabia se iria conseguir me controlar estando deitado na cama com ela, principalmente por ela está tão tentadora nas minha roupas.

    —Não eu vou colocar seu vestido pra lava, por que não dorme você.

    —Eu vou esperar você.

    Eu podia ver a determinação nos olhos dela, no fundo eu sabia que se não deitasse ali com ela, acabaria fazendo uma cena.

    Fechei os olhos tentando controlar meus pensamentos e não pensar besteira, ela era só uma menina, uma criança tentadora, mas só uma criança. E foi com esse pensamento que eu me deitei ao lado dela o mais distante que a cama permitia. Ela revirou os olhos diante do meu comportamento e veio apoiar a cabeça sobre o meu peito. Na posição em que ela deitou eu podia sentir o corpo dela bem colado ao meu, cada curva. O mais tentador sem sobra de duvidas era os seios dela, que deitada daquela forma permitia que eu tivesse uma visão incrível do seu decote, a blusa permitia ver que ela estava sem sutiã o que me enlouquecia ainda mais. Tentei ao máximo me controlar pra não deixar que ela reparasse na minha crescente ereção.

    —Edward.
    Olhei pra ela.

    —O que?

    —Obrigada por cuidar de mim.
    Aquilo foi como um balde de água fria sobre mim, qualquer conteúdo sexual que eu tivesse vendo nela se desfez, naquele momento eu só conseguia enxergar uma menina linda que estava muito fragilizada, na qual eu só queria cuidar e proteger o máximo, não seria justo se eu me deixasse levar pelos meus instintos e tomasse ela ali, eu estaria me aproveitando dela e isso não seria algo do qual eu me orgulharia depois.
    Notas Finais/Avisos
    16/05
    Comentários no facebook
    0 Comentários no blogger

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    © Todos os direitos reservados 2017 -
    Morgana Salvatore - Tecnologia do Blogger