• Menu

  • 03 junho 2017

    Amor Não Olha Idade - Capitulo 20


    Isabella Swan

    Fui correndo para o meu quarto e peguei meu telefone, eu ainda não estava totalmente segura com isso, mas era melhor que eu tinha conseguido. Ele atendeu no segundo:

    —Amor.

    —Porque você não me atendeu antes?
    Eu ainda não tinha esquecido que eu tinha passado a noite toda ontem tentando falar com ele, e ele não serviu nem mesmo para retorna minha ligação hoje o dia todo.

    —Eu estou lotado de trabalho nem vi meu telefone antes.
    Desculpa, uma merda de uma desculpa horrível e que não servia para me convencer, mas naquele momento tínhamos problemas maiores para eu me preocupar.

    —Temos um problema. — Eu tinha trancado a porta para me dá privacidade, eu não sabia que horas minha mãe chegaria e não poderia me arriscar já bastava o que tinha acontecido hoje isso significava que eu precisava tomar mais cuidado.

    —Eu resolvo quando eu chegar.
    Porque ele nem se importava em querer saber o que era antes de dizer que resolveria.

    —E serio Edward, muito serio.
    Ouvi ele respirar fundo antes de falar:

    —O que aconteceu.

    —Meu tio descobriu que estamos juntos. —Fui direto ao ponto não adiantaria nada ficar rodeando com esse assunto.

    —Você contou a ele?
    A voz dele permanecia calma, ele parecia cansado.

    —Não e sim.

    —Como assim Isabella?
    Me sentei na minha cama e comecei a contar detalhadamente tudo que tinha acontecido hoje.

    —Como você não percebeu que ele estava te levando na sua medica? Porque você não foi mais atenta? Você poderia ter me mandado uma mensagem eu teria avisado-a e nada disso teria acontecido.
    Ele não tinha o direito de colocar a culpa em mim.

    —Eu te liguei varias vezes ontem e mandei mensagem você não me respondeu e nem me retornou o que me garante que hoje seria diferente.
    Eu não queria estar brigando com ele, o que custava ele dizer que estava tudo bem e que a gente resolveria isso juntos, porque ele tinha que ficar me acusando.

    —Sua mensagem dizia que você estava com saudades e eu iria te responder assim que eu tivesse tempo, que droga você acha que eu estou fazendo o que aqui eu vim a trabalho e estou trabalhando não estava com tempo para retorna, mas se fosse um assunto serio eu teria dado um jeito.
    Eu nem sabia o que dizer ele não tinha o direito de falar duro comigo a culpa não era minha.

    —Eu não quero mais conversa com você. Tchau.

    Eu desliguei era imaturo ele iria me chamar de infantil com certeza, mas eu estava com a minha cabeça estourando eu tinha tido uma puta conversa difícil com o meu tio, tinha chorado mais do que tudo e não ia ficar ouvido ele falar daquele jeito comigo.
    Silenciei meu telefone e escondi embaixo do meu travesseiro eu só falaria com ele mais tarde quando ele estivesse mais calmo. Me levantei e fui até meu banheiro, lavei meu rosto e o observei no espelho meu rosto denunciava que eu tinha chorado e estava bem vermelho o ruim de ser tão branca era isso eu ficava vermelha por qualquer motivo. Abaixei e no armário que ficava localizado em baixo da pia, peguei um comprimido para dor de cabeça e tomei com água da pia mesmo, não queria encarar meu tio de novo, principalmente por não ter uma resposta pra ele, voltei ao meu quarto e me joguei na minha cama, fiquei lutando contra mim mesmo e contra a minha vontade de pegar meu telefone. Muita das vezes ele agia como um príncipe, mas ele tinhas seus momentos sapos. Peguei meu telefone não conseguindo resistir muito, tinha seis chamadas dele e duas mensagens de texto, ele realmente era o único que ainda se comunicava através de MSG. Abri primeiro as mensagens e ambas eram apenas ordens para que eu atendesse o celular, a primeira no tom mais duro a segunda já era mais calma ele até pediu por favor. Mesmo sabendo que ele ainda não tinha se acalmado retornei a ligação, um por querer saber como ele lidaria com isso e ter uma resposta para o meu tio e dois porque eu odiava dormi brigada com ele.

    Ele atendeu no segundo toque:
    —O que eu já falei sobre você desligar o telefone na minha cara.

    Sim já tínhamos brigado diversas vezes por causa desse motivo, mas eu não conseguia conter meu gênio sempre que ele estava me irritando eu agi assim era a única forma de fazer ele ser mais racional.

    —Eu não desliguei na sua cara, eu avisei que desligaria e me despedi. —Afirmei calmamente sabendo que ele não teria como rebater isso e continuei. —E pare de ficar me repreendendo como se eu fosse sua filha.

    —Eu não quero brigar com você.
    Respirei fundo ele sabia como me tira do modo defensiva.

    —Nem eu.
    Eu só tinha ligado pra ele porque eu queria apoio e pensei que ele agiria de uma forma diferente.

    —Desculpa o modo que eu falei com você e que eu estou irritado com o trabalho e acabei descontando em você.
    Não valia a pena insistir no assunto.

    —O que vamos fazer? — Perguntei sobre a conversa dele com o meu tio, ele ainda não tinha me dado nenhuma resposta.

    —Eu vou conversa com ele e vai dá tudo certo.

    —Não sei não.
    Conhecendo o temperamento do meu namorado e o do meu tio eu sabia que essa conversa tinha tudo pra dá errado.

    —O que está te preocupando? Você não disse que ele seria o mais fácil de aceitar, quais foram suas palavras mesmo? —Ele perguntou se lembrando do dia em que tínhamos conversado sobre qual seria a reação das pessoas ao descobrirem sobre nos dois, nesse dia chegamos a conclusão que as duas reações piores seriam a da filha dele e a da minha mãe. Antes que eu repetisse as palavras que eu lembrava perfeitamente ele mesmo disse fazendo uma imitação ruim da minha voz. —“Ele já sofreu bastante preconceito pelas escolhas dele, ele sabe como e se sentir apontado por causa de uma decisão que só diz respeito a ele não vai querer fazer o mesmo com os outros.” —Mas eu tinha dito aquilo antes de vê a reação dele hoje. —Fica calma ok, vai dá tudo certo ele vai respeita a escolha que só diz respeito a nos dois e vai vê que eu te amo e só embarquei nessa loucura por causa desse sentimento que eu tenho por você e que eu sempre te respeite e que eu tenho as melhores intenções do mundo com você senhorita.

    Eu podia percebe o tom de humo na parte do “senhorita”.

    —Amor eu tenho a consciência limpa, o que fizemos não foi e nem é errado e vai ficar tudo bem, eu te prometo. —Diante da promessa dele eu só conseguia criar mais esperanças de que no final pudesse ficar tudo bem, esse era a atitude que eu esperava quando eu liguei pra ele, porque ele precisava complicar antes de simplificar tudo.

    [...]

    Hoje era a tal conversa do meu tio com o Edward e eu estava muito irritada por esta proibida de ir junto, como assim eles iriam conversa sobre mim e eu não poderia estar presente.
    Meu tio já tinha saído há alguns minutos e aqui estava eu sem saber o que fazer,o que será que meu tio queria com o Edward? Qual seria o teor da tal conversa? Eu já tinha perguntado a ele, mas ele me respondeu que era um assunto que não me dizia respeito. Não me dizia respeito ta bom eu ainda era obrigada a escutar isso. Minha ansiedade estava em níveis extremos eu estava me controlando muito para não devorar minhas unhas.  O Edward tinha chegado hoje e a primeira coisa que ele quis foi resolver logo essa situação, eu só tinha falado com ele por telefone e tinha pedido muito a ele para tentar relevar um pouco se meu tio o tratasse mal, mas eu conhecia meu namorado e o que eu podia fazer naquele momento era só reza.

    [Cont...]
    Notas Finais/Avisos
    16/05
    Comentários no facebook
    0 Comentários no blogger

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    © Todos os direitos reservados 2017 -
    Morgana Salvatore - Tecnologia do Blogger