• Menu

  • 01 agosto 2017

    Amor Não Olha Idade - Capitulo 24



    Tanya Denali Cullen

    Eu não conseguia digerir o que eu via naquelas fitas de segurança, como o Edward podia ter sido cretino a ponto de se envolver com uma criança, a menina era mais nova que a minha filha. Minha filha? Era impossível não pensar se ele não tinha sei lá pensado ou tentado algo com ela. Não ele não faria isso, não era o tipo dele, ele gostava de mulheres mais experientes sempre gostou não era possível ela era a princesinha dele, jamais faria isso eu sabia, mesmo não tendo nada que na minha vida tivesse me preparado pra vê-lo com uma menina daquela idade ainda sim eu o conhecia era mais de vinte anos de casados.

    —Há quanto tempo? —Perguntei ao detetive particular na minha frente, eu tinha o contratado, ele tinha boas recomendações, mas não era o melhor.

    —Bom pelo que eu consegui no mínimo três anos.
    Engasguei três anos atrás aquela menina tinha o que quatorze, quinze anos. Eu estava fortemente enjoada.

    —Três anos? —Perguntei pra ter certeza de que ele realmente tinha dito aquilo.

    —Sim. Tem tudo registrado no relatório e nessas copias. —Ele apontou para o pendrive. —Você pode ver o vídeo dele com ela entrando e saindo do apartamento que ele deu de presente a ela. Eles se encontrão todos os dias no mesmo horário na maior parte das vezes ele vai buscá-la na escola.

    Ele tinha a presenteado com a droga de um apartamento.

    —Eu posso continuar procurando, mas acho que isso é suficiente, mas se você quiser que eu procure mais a fundo pra ver se eu acho mais coisas, outras talvez?
    Eu não precisava que ele me mostrasse aos outras mulheres que passaram pela cama do meu marido, porque eu as conhecia e eu sempre buscava conhecer cada uma delas. Nossa relação era aberta eu tinha meus casos e ele os dele, mas eu gostava de conhecer as outras mulheres que apareciam na vida dele só pra ter o prazer de esfregar na cara delas que elas não passavam de distrações, um casamento de vinte anos necessitava de distrações pra se manter ativo, e era isso que elas eram distrações casinhos que duravam alguns poucos meses e acabavam. Como eu faria isso com aquela menina, ela era uma criança que tinha caído no papo dele eu precisava pensar bem no que eu faria com aquelas provas.

    —Não será necessário isso é suficiente. —Eu afirmei para o detetive na minha frente com aquilo ali eu conseguiria descobrir o restante sem te que pagar uma fortuna.
    Levantei-me e recolhi as provas colocando-as dentro da minha bolsa.

    —Foi um prazer trabalhar com a senhora.

    —Igualmente.
    Sai daquela sala tendo certeza de que aquele homem queria se meter dentro da minha saia, mas eu não estava desesperada a esse ponto. Aquele homem não fazia meu tipo de forma alguma.

    [...]

    Naquele momento olhando aquelas fotos e vídeos tudo fazia sentindo, na época eu tinha estranhado ele querer ir aquela festa, mas hoje estava tudo claro. Ele provavelmente já estava tendo algo com aquela menina, aquele tinha sido o aniversário de 15 anos dela e se antes ele já tinha alguma coisa com ela então ele realmente estava ficando com uma criança, com quatorze anos ela não podia nem ser considerada adolescente... Eu não queria acreditar que ele realmente tinha tido qualquer tipo de envolvimento com aquela menina, meu marido não podia ser a merda de um pedófilo.

    Olhei ao redor, a casa que tínhamos morado durante todo o período em que tínhamos permanecido casados, foi um presente dado pelos pais dele, uma casa bem maior do que necessitávamos. Minha mente estava tomada pela confusão das coisas que eu via naquele pendrive, diversas imagens das câmeras de segurança daquele prédio em que ele tinha dado um luxuoso apartamento a ela.

    Eu sabia que eu podia usar aquelas imagens para ferra com a vida dele e eu queria muito isso, era inexplicável a sensação de prazer que me daria ver ele se ferra e eu era ciente de que bastava que um daqueles vídeos caísse na imprensa que o nome dele estaria na lama, ele seria chamado pelos piores nomes do mundo, eu podia imaginar como iriam cair em cima dele afinal ele era um homem de 45 anos se envolvendo com uma menina de 14 ainda tratando a menina como prostituta dando presentes extremamente caros. Mas em contrapeso eu me colocava no lugar daquela menina, como mãe eu pensava e se ela fosse minha filha? Eu podia imaginar como iriam cair em cima dela também com essa história e que provavelmente ela seria a que mais sofreria com aquela situação, ela tinha 17 anos e eu pouco sabia dela e não tinha a menor idéia de como ela reagiria com a pressão desse tipo de exposição, mesmo ela sendo amante do meu marido e no fundo também querer me vingar dela eu tinha certeza de que expor ela assim era algo cruel até mesmo para alguém vingativa como eu. Eu queria ser cruel com o Edward com ela não, um sustinho nela e bastaria, eu tinha certeza de que naquela história ela era a menos culpada e se enganando tudo que eu imaginava ela fosse culpada e tivesse seduzido ele eu não tinha nenhum relacionamento com ela meu marido era o Edward ele me devia respeito e no mínimo o que eu esperava era que se ele caísse no joguinho dela tornasse ela apenas uma amante agora me trocar por ela isso eu jamais aceitaria. Mas eu o conhecia sabia que ele tinha começado com aquela história, mesmo não sendo mais nenhum garotão eu sabia do forte poder de conquista que ele possuía e ela deve só ter caído no papo dele.

    —Mamãe? — Observei minha filha entrar no meu quarto eu estava tão distraída que nem tinha reparado ela abrindo a porta. —Estou te chamando a um tempão. —Só provava que eu estava tão distraída que se ela não tivesse aumentado o tom de voz pra me chamar eu nem teria ouvido ela.

    —Me desculpa estava distraída. O que foi? Vai sair? —Perguntei olhando-a atentamente ela vestia uma calça jeans escura, sobretudo bem grosso e botas. Minha filha era extremamente linda meu maior ganho no mundo era ela, tinha herdado só os pontos positivos da minha beleza mais a beleza do pai dela. Eu ainda não me conformava por ela não querer seguir a carreira de modelo que eu tinha certeza de que se sairia muito bem.

    —Na verdade eu vim pergunta se você se importa.

    —Não. Vai sair com a aquela sua amiga? —Perguntei querendo saber mais da relação da minha filha com a Isabella e como só aquela menina era considerada amiga pela minha filha ela sabia quem eu estava falando.

    —A Isabella? Não ela está apaixonadinha e esquece que tem amiga. —Eu nem precisei perguntar muito e ela já estava falando exatamente o que eu queria saber e pela colocação da minha filha só confirmava mais ainda o que eu já desconfiava o Edward tinha seduzido a garota e ela estava apaixonada por ele sem nem conhecer ele de verdade.

    —Hum porque vocês não saem em casal? —Perguntei, minha filha estava também com um namoradinho novo, realmente não queria que isso acontecesse, mas precisava saber se ela sabia que o namorado da amiga era o pai dela e se ela também tinha me traído.

    —Bem que eu queria, mas ela simplesmente mantém esse menino em segredo não sei o que ela tanto esconde. —Ok pelo menos nela eu ainda podia confiar, eu tinha certeza pelo tom de voz que ela estava falando a verdade.

    Foi impossível não imaginar como minha filha iria lidar com aquela história afinal ela tinha sido traída pela própria amiga e tudo que eu não queria era que ela sofresse.

    —O que levaria ela a esconder. —Fingi só estar especulando, eu sempre conversava muito com a minha filha ela não desconfiaria de nada. —De repente esse “menino” seja comprometido ele já ter alguém e a única coisa que me leva a pensar motivo para ela manter em segredo.

    Minha filha simplesmente riu da minha fala.
    —Mãe a Bella é super certinha ela jamais concordaria em ter um caso com alguém comprometido, serio era mais fácil eu ter esse tipo de relacionamento do que ela. —Bem minha filha não conhecia tanto a amiga quanto achava conhecer.

    —De repente ela está apaixonada. —Sugeri, não queria está de forma alguma está defendendo aquela menina, mas eu precisava saber mais e só conseguia ver aquele jeito para obter mais informação dela.

    —Não mãe você não conhece a Bella.
    Bem pelo visto nem minha filha conhecia.

    —E só uma suposição então é melhor você ir não quero que você chegue muito tarde em casa.

    Eu precisava pensar muito bem o que eu faria com tudo aquilo que eu tinha descoberto e precisava pensar muito porque dependendo da minha decisão não teria como voltar atrás.


    (Cont...)
    Notas Finais/Avisos
    Estou conseguindo postar um capitulo por semana então queria saber pra vocês qual é o melhor dia para atualizar a fanfic?

    Finalmente foi revelada a idade do senhor Cullen, 45 quando ela tinha 14 atualmente ele tem 48 enquanto ela tem 17.

    Então e isso. Gostaram?
    Volto em breve.
    Obrigada pelos comentários no capitulo anterior.
    Posso pedir uma coisa especial?
    Sim? Tem certeza?
    Então tá, divulguem a fanfic aos amigos e os convide a conhecer a história, por favor!!!


    Ps. Me acompanhe nas minhas redes sociais:

    • Site: http://wwwhttps://morganasalvatore1.blogspot.com.br/

    • Facebook: https://www.facebook.com/MorganaSOficial/

    • Twitter: https://twitter.com/MorganaSOficial

    • Grupo: https://www.facebook.com/groups/MorganaSOficial/

    • Instagram: https://instagram.com/MorganaSOficial

    • Ask: https://ask.fm/morganaSOficial
    28/07
    Comentários no facebook
    0 Comentários no blogger

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    © Todos os direitos reservados 2017 -
    Morgana Salvatore - Tecnologia do Blogger